Na manhã desta terça-feira (30), a governadora Wilma de Faria assinou a ordem de serviço para construção do terminal pesqueiro de Natal. As instalações serão erguidas em um terreno cedido pela união, por trás da CBTU (Companhia Brasileira de Trens Urbanos), entre a Pedra do Rosário e a Capitania dos Portos, no bairro da Ribeira e terá cerca de 200 metros de extensão de cais. A obra, no valor de R$ 29,5 milhões, tem prazo de 18 meses para ser concluída.

"Graças a um esforço enorme do Governo do Estado, conseguimos um convênio com o Governo Federal e os recursos para a obra estão totalmente garantidos. Agora quero agilidade dos técnicos da empresa contratada e das secretarias envolvidas para a construção andar dentro dos prazos. Com o terminal, vamos dar uma propulsão importante à pesca potiguar com a verticalização do processo, agregando valor através do beneficiamento do produto", disse a governadora.

Com o terminal, espera-se a geração de 9.600 empregos diretos – hoje, são pouco mais de 2.400 empregos – e um incremento na economia com a melhoria das atividades comerciais (serviços de apoio, combustíveis e lubrificantes, suprimentos, gelo, alimentação e hotelaria e aumentos das exportações), crescimento industrial (construção de embarcações, reparos navais e indústrias de processamento e embalagens), crescimento regional e promoção do Rio Grande do Norte, com a agregação de valor à pesca, qualificação do mercado, melhoria de infra-estrutura e expansão de fornecedores.

O terminal está entre as dez obras apresentadas como prioridade pelo Governo do Estado ao Orçamento Geral da União (OGU) de 2009. A obra é vista pela governadora Wilma de Faria como uma das que trarão grandes impactos para o desenvolvimento sócio-econômico não apenas para o Rio Grande do Norte, mas para todo o país. Será um pólo pesqueiro importante para toda a América Latina.

O Rio Grande do Norte dispõe de 25 municípios litorâneos, 84 comunidades pesqueiras, 30 colônias de pescadores e 11 mil pescadores cadastrados no litoral. O Estado é o maior exportador de pescado do Brasil e fechou 2008 com cerca de 10 mil toneladas de produtos (atum, espadarte, lagosta e camarão de cativeiro) vendidos para fora do país. A crise internacional deve provocar uma ligeira queda nestes índices ao final deste ano, mesmo assim a produção será mantida e será voltada para o mercado interno.

"Hoje, cerca de 150 mil pessoas vivem da pesca de uma forma geral no RN. Com esses mais de 10 mil empregos diretos que serão gerados, o setor vai sustentar aproximadamente 200 mil potiguares. O terminal é um sonho realizado que começou em 2001, quando Wilma de Faria ainda era prefeita e depois como governadora empunhou a bandeira do segmento. Os efeitos positivos serão rápidos", afirmou Antônio Alberto Cortez, Sub-secretário de Aquicultura e Pesca da Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Pesca (Sape).


RNIMOVEIS
OI - 84-99655-7141 WhatsApp - 84-98737-9062

Notícias