O relatório de estudo de viabilidade técnica e econômica do aeroporto internacional de São Gonçalo, que vai servir de base para a abertura de licitação que garantirá a continuidade da obra e sua conclusão até 2010, deve ser concluído no final deste semestre. Técnicos do BNDES e do consórcio contratado para elaborar o estudo iniciaram nesta segunda-feira (12) uma série de reuniões com representantes do governo estadual para colher dados que ajudem na realização da tarefa.

"O Rio Grande do Norte não será mais o mesmo com este aeroporto, que representa um instrumento de desenvolvimento importantíssimo para o Estado", afirmou a governadora Wilma de Faria, ao se reunir com os técnicos do BNDES e do Consórcio Potiguar, no inicio da tarde, na Secretaria Estadual de Planejamento (Seplan). Ela solicitou celeridade na realização do estudo de viabilidade, que irá definir, entre outras questões, o modelo de concessão mais apropriado ao empreendimento, convencional ou se patrocinado também pelo capital privado (PPP).

"Pudemos avançar bastante nesta primeira reunião, até porque já tínhamos material importante para apresentar, como o Plano de Desenvolvimento da Região Metropolitana, concluído no ano passado", avaliou o secretário estadual de Planejamento, Vagner Araújo, ressaltando a qualidade dos técnicos envolvidos no estudo, "integrantes de uma equipe multidisciplinar de nível internacional".

"Continuaremos realizando reuniões setoriais até quinta-feira para colher informações que subsidiem os estudos técnicos, priorizando áreas como demanda de mercado, engenharia e questões ambientais", afirmou o gerente de Editoração de Projetos do BNDES, Leonardo Leão. Segundo disse, está prevista a visita dos técnicos às obras do aeroporto, onde no momento está sendo concluída a pista de pouso e iniciado a construção do pátio de estacionamento.

Em dezembro passado, o governo federal anunciou a liberação de mais R$ 20 milhões para as obras de construção do aeroporto de São Gonçalo do Amarante. Os recursos se somarão aos R$ 68 milhões que serão liberados para a obra, previstos no Plano de Aceleração do Crescimento (PAC) para 2009. O aeroporto terá a maior pista de pouso do Nordeste, além de possuir, quando concluído, o maior terminal de cargas da América Latina e o sétimo do mundo.

Além da pista principal, projetada para ter 3.000 metros de extensão e 60 metros de largura (a do Aeroporto Augusto Severo possui 2.600 metros por 45 metros), o Aeroporto de São Gonçalo terá mais cinco pistas de táxis, com dimensões variáveis. Após a conclusão das pistas de pouso e táxi e da infra-estrutura de segurança de vôo (iluminação, sinalização, entre outros), o passo seguinte será a construção do terminal de passageiros que, quando estiver totalmente concluído, terá capacidade para receber até 40 milhões de pessoas por ano.


RNIMOVEIS
OI - 84-98947-1265 TIM - 84-99655-7141 CLARO - 84-99405-8484

Notícias