Seis anos depois da reforma de 2000, o Aeroporto Internacional Augusto Severo passará por uma grande ampliação. A capacidade de 1,2 milhão de passageiros anualmente foi atingida e as obras se fazem necessárias. Pelos números da Infraero, 2005 fechou com um movimento de 1.299.144 passageiros. 

"Mas ainda estamos dentro da capacidade projetada, que é de 1,5 milhão de passageiros. Agora vamos fazer a ampliação para que as condições de conforto dos nossos passageiros não sejam comprometidas com o aumento do turismo", comentou o superintendente da Infraero, Manoel Henrique Cardoso Bandeira.

Ele aponta como o principal ponto de estrangulamento as salas de embarque e desembarque de vôos internacionais. “O projeto do aeroporto de Natal foi feito com base nos números do turismo nos últimos anos. Ele (o projeto) não foi mal dimensionado, ocorreu que o turismo internacional cresceu muito nos últimos anos, superou a média do Brasil”, justificou o superintendente.

O projeto de ampliação terá quatro principais pontos. O primeiro é a ampliação da capacidade da sala de embarque, aumentando em 60%, e desembarque, em quase 200%, dos vôos internacionais.

Outro aspecto da ampliação será o uso do prédio antigo do aeroporto. A infra-estrutura passará a ser usada para o check-in de vôos charters. Naquele local, também serão feitos desembarques remotos de vôos domésticos.

A aérea de circulação do aeroporto também será ampliada. As lojas que hoje estão no térreo, próximo ao check-in passarão a ser próximas à vidraça da fachada, aumentando a área de check-in.

O projeto de ampliação do Aeroporto Augusto Severo custará R$ 2,5 milhões e está na Superintendência Regional de Engenharia da Infraero. A expectativa de Manoel Henrique é que, com o Plano de Gerenciamento de Obras e Serviços sendo liberado esse mês, as obras sejam licitadas de imediato. “Estamos com o processo licitatório todo pronto, esperando para ser lançado”, destacou, acreditando que ainda esse ano a obra de ampliação possa ser concluída.

Sobre uma ampliação real do espaço físico do aeroporto, Manoel Henrique descartou. Segundo ele, os recursos da Infraero no Rio Grande do Norte estão voltados para a construção do aeroporto de São Gonçalo do Amarante.

Sobre a proposta do secretário estadual de Turismo, Nelson Freire, que sugeriu o uso do prédio antigo do Augusto Severo para o embarque e desembarque dos vôos charters, o superintendente da Infraero descartou: “não é possível fazer isso porque toda estrutura de fiscalização (como a Polícia Federal) está no prédio novo. O que faremos no prédio antigo é desembarque remoto de vôo doméstico”, disse Manoel Henrique.

Problemas no sistema de ar-condicionado

A preocupação em relação ao Aeroporto Internacional Augusto Severo não se limita apenas ao crescimento do número de turistas, mas também quanto à infra-estrutura oferecida para quem freqüenta o local. O sistema de ar condicionado está com problemas e o calor é grande no saguão do terminal.

O superintendente da Infraero, Manoel Henrique, explicou que a empresa York Internacional foi contratada para recuperar todo o sistema de ar condicionado. A previsão de conclusão do serviço era 15 de janeiro. Mas até ontem o problema persistia.

“Entrei em contato várias vezes com a empresa e ela me garantiu que os equipamentos chegarão até a próxima semana”, comentou Manoel Henrique. O serviço contratado é no valor de R$ 90 mil.

O superintendente da Infraero explicou que um dos fatores que trazem maior problema para esse serviço é o fato de todo equipamento ser importado.

"No seu projeto o aeroporto não previa o sistema de ar condicionado, mas viu-se que a ventilação do local não era suficiente. Por isso foi implantada a central de ar condicionado", ressaltou o superintendente da Infraero.

02/02/2006
Fonte: Tribuna do Norte


RNIMOVEIS
OI - 84-98947-1265 TIM - 84-99655-7141 CLARO - 84-99405-8484

Notícias