O Rio Grande do Norte está ocupando lugar de destaque em um dos mais importantes eventos do setor energético do país, o Wind Forum Brazil 2009, que reúne autoridades e especialistas do Brasil e do exterior para discutir o potencial eólico e a posição oficial do governo para o desenvolvimento da geração eólica nacional. A palestra de abertura do evento, nesta segunda-feira (16) no Holiday Inn Parque Anhembi, em São Paulo, ficou a cargo do secretário de Energia e Assuntos Internacionais do Estado, Jean-Paul Prates que, entre outros assuntos, falou sobre o Cadastro de Projetos Eólicos lançado pelo Governo do Estado que, em menos de dois meses, registra 31 projetos potenciais, além dos dois atualmente em operação.

Segundo Jean-Paul, o Cadastro Estadual de Projetos Eólicos, lançado no final do ano passado, já contabiliza uma estimativa total de potência instalada de 1.400 Megawatts (MW), mais que o dobro da necessidade de consumo do Estado, que é de aproximadamente 600 MW. Se consolidados esses projetos contribuirão decisivamente para que o Rio Grande do Norte saia da condição de importador para exportador de energia elétrica. O tema central dos debates foi o aspecto regulatório e o próximo leilão a ser realizado pelo governo federal, cuja primeira portaria já se encontra em consulta pública. Na sua palestra, o secretário destacou as ações que o Governo do Estado vem realizando para organizar o grande afluxo de interesse em investimentos, esperado para as regiões de maior potencial. O lançamento do Cadastro Estadual de Projetos Eólicos (CEPE) foi elogiado pelos investidores como sendo uma forma ideal de filtrar os projetos que merecem a atenção e o acompanhamento do governo.

Também foi comentada como uma iniciativa proativa, por parte do Governo do RN, o fato de a Secretaria de Energia se dispor a coordenar a organização de um consórcio para a construção e operação de uma linha de transmissão que permeie a área de maior potencial eólico, hoje carente de infra-estrutura de escoamento. Os operadores também concordaram com a preocupação do secretário com a especulação imobiliária exacerbada e desproporcional - e se dispuseram a participar de workshop estadual com a presença das associações a serem formadas pelos proprietários de terras com potencial eólico.

O evento continua até esta terça-feira (17). Somente nesta segunda-feira, cinco grupos empresariais não presentes no Estado agendaram reuniões, bem como outros quatro que já possuem projetos cadastrados. "A Secretaria de Energia trabalha incessantemente pela melhoria das condições de competitividade dos projetos potiguares tendo em vista que no Leilão Específico para Energia Eólica, que o Ministério das Minas e Energia (MME) e a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) estão programando para o primeiro semestre deste ano, os projetos competirão nacionalmente entre si, conforme a melhor tarifa", explica o secretário.

O Wind Fórum Brazil, também chamado de Fórum Nacional para a Geração Eólica conta com a participação de membros do Ministério de Minas e Energia (MME), da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), da Câmara dos Deputados, entidades setoriais e empresas investidoras nacionais e internacionais, como a e.g. Iberdrola, Electricidade de Portugal, Pacific Hydro, Perenia, Banco InterAmericano de Desenvolvimento) além do presidente do IGEC International Green Energy Council.


RNIMOVEIS
OI - 84-98947-1265 TIM - 84-99655-7141 CLARO - 84-99405-8484

Notícias